Friday, September 08, 2017

Perdoa

Rio de Janeiro, 7 de setembro de 2017

Me perdoa, 

por estar tentando aprender a confiar e valorizar quem me dá ( ou me deu um dia ) afeto
pelo meu kharma e pelo trabalho que enfrento corajosamente para transformá-lo
por ter experimentado desabrochar, ultrapassando a membrana de vergonha que tenho de mim
por não ter me acostumado a ser olhada e lutar por isto com uma armadura frágil
por só agora realmente assumir os monstros internos e tentar sensibilizá-los com escuta e paciência
por te amar e desejar diariamente ser amada por você
por querer ser sua família, ser parte de você, da sua família, te dar uma família
por fazer minha filha te amar e amar sua família e querer ser amada por você e sua família
por querer te dar tudo que sonho e sonhar que você me desse alguma parte do seu todo
por me amar com parcimônia
por ter sido criada neste ambiente católico machista repressor que coloca o outro à frente de si próprio
por relativizar os defeitos dos meus familiares como opção à solidão total, sem deixar de militar outro modo de agir, falar, pensar e ouvir
por querer preservar o que é nosso, só nosso, meu e seu, meu, seu e da nossa filha
por não ter sabido preservar o que é nosso, só nosso, meu e seu, meu , seu e da nossa filha
por ainda querer preservar o que é nosso, só nosso, meu e seu, meu, seu e da nossa filha
por ter me desesperado completamente à sua primeira partida, considerando o fim dos tempos
por me agredir para te provar o que não preciso provar para ninguém 
por enxergar padrões e às vezes cair neles
pelo medo fatalista ansioso e agressivo que meus ancestrais me transmitiram e que respiro silenciosamente em aversão, dando as mãos ao livre-arbítrio
pelas vezes que me rendi ao sistema capitalista e à minha veia empresarial imobiliária
por me perder e te ter como bússola
por querer cuidar de você e ser cuidada por você
por errar
por ousar ser sua base, seu chão, seu pouso, seu lar, sua casa
por todas ilusões que criei para sobreviver
por querer viver a realidade ao teu lado e querer que você quisesse o mesmo
pelo meu feminismo romântico
por, além da necessidade, gostar muito do trabalho e do estudo e te admirar pelo mesmo
por ter te transformado na minha máquina do tempo que me leva de volta aos prazeres da infância
por querer compartilhar toda beleza em volta de mim e o pouco que aprendi e adquiri nesta vida contigo e desejar o mesmo de você
por manter-me curiosa diante dos tempos, das culturas e dos gostos, mas querer explorar o mundo e continuar a viagem contigo
por misturar tu com você (e eu e nós )
por ter tido vontade de fazer teatro junto com você, considerando o que temos de melhor em cada um de nós
por mal interpretar e desentender alguma palavra, impulso ou plano seu
por ter falhado em compreender qual era o pacto
por precisar tanto do meu espaço e não te fazer perceber isto
por ter acreditado ser possível conquistar, curtir, fazer ficar sempre bonito e gostoso contigo um apartamento em São Paulo outro no Rio (ou só num lugar do universo destes qualquer)
por ter acreditado ser possível conquistar, curtir, fazer ficar sempre bonito e gostoso contigo uma casa no interior ou num litoral destes
por ter acreditado ser possível conquistar, curtir, fazer ficar sempre bonito e gostoso contigo um cachorro ou um cavalo ou uma galinha pra dar ovinhos ou uma tartaruga ou uma vaquinha para dar leite (ou não)
por me virar sem você, ser independente e insistir na nobreza espiritual do amor verdadeiro entre um homem e uma mulher, por insistir em você e eu, por insistir em nós
por ter acreditado ser possível conquistar, curtir, fazer ficar sempre bonito e gostoso contigo um irmão ou uma irmã para a nossa filha (ou não)
por lembrar do teu pedido de casamento, da minha reação, da reação da sua tia internada no sanatório
por ter gargalhado com você com a cena da sua mãe e suas tias comemorando a boa (e imaginada ) notícia de que eu estava grávida de você
por ter me dedicado tanto ao brinde e as dificuldades do seu primeiro grande trabalho
por ter jogado incessantemente com você à espera do primeiro contrato
por ter me anulado inúmeras vezes
por ter contado contigo para fazer da minha filha um ser humano melhor
por ter confiado tanto em você e esperado o mesmo de volta

por não estar conseguindo me libertar desta dor
por colocar a chave desta prisão em tuas mãos

só quero teu perdão, teu sincero perdão,

com a promessa de que estou me cuidando, como você me sugeriu em todos finais de telefonemas

Me perdoa, 
( mas me perdoa só se realmente estiver me perdoando em cada um destes itens, se em algum deles você não tiver me perdoado, me diga - ou não - e saberei )


Te agradeço de antemão 


No comments:

Post a comment